O que é Princípio da Transcendência?

Você sabe o que é Princípio da Transcendência? Hoje você vai conhecer esse conceito e como isso se conecta com você. Acompanhe o texto até o fim!

O que é transcendência?

Os estudos sobre saúde, bem estar e espiritualidade passam pelo conceito de transcendência. Na abordagem transpessoal, a transcendência é considerada uma necessidade humana. Porém, não estamos falando de algo que está separado do mundo físico ou material. Essa visão dualista da realidade foi criada na Grécia antiga e se desenvolveu pelo iluminismo. 

Na visão transpessoal, a transcendência está relacionada com a pulsão psíquica que impulsiona o ser humano a ir além dos estados de consciência ordinários. Não depende, portanto, de uma religião ou crença religiosa. O conceito pode ser entendido como um estado sutil de consciência que conecta o homem à totalidade do cosmos. Essa reconexão com a totalidade leva o indivíduo a ir além de si mesmo. E traz diferentes impactos para a vida de quem a experiencia. Inclusive na saúde, bem estar e felicidade.

Linha do tempo

Quem falou sobre esse tema pela primeira vez foi Abraham Maslow, quando abordou as chamadas “experiências de pico”. Essas experiências incluem sentimentos de êxtase e comunhão com a natureza e o universo. Para Maslow, vivenciar o aspecto transcendente não era só importante mas também uma necessidade humana. Em síntese, as pessoas que vivenciam estados alterados de consciência ampliam seu olhar e transcendem a visão dualista. Nesse sentido, sem a experiência transcendente, o homem ficaria mais suscetível à doenças, violência, perda de sentido, perda de propósito, depressão e a sentimentos vazios de esperança.

Em seguida, Pierre Weil desenvolveu uma análise psicométrica para explorar a incidência do fenômeno conhecido como “consciência cósmica”. Ele chegou a conclusão de que há no ser humano uma tendência à procura da dimensão universal em si e à transcendência. Por isso, Maslow o chamou de “aspecto instintóide”, ou seja, intrínseco à natureza humana.

Mais tarde, Vera Saldanha observa essa correlação entre as descrições de Maslow e Weil. Surge então um novo referencial sobre o desenvolvimento humano, o “Princípio da Transcendência”.

O que é o Princípio da Transcendência

No desenvolvimento psíquico humano, encontramos dois princípios. Um deles é o Princípio Primário, regido pelo prazer. O outro é o Princípio Secundário, regido pela satisfação de novas necessidades. Ambos são propostos pela psicanálise. No entanto, segundo a abordagem transpessoal, há ainda um processo terciário, caracterizado pelo Princípio da Transcendência.

Entenda abaixo os três princípios e como eles se relacionam:

Princípio Primário: Princípio do Prazer

De acordo com a Teoria da Personalidade de Freud, o Princípio Primário é também conhecido pelo Princípio do Prazer. É o impulso que busca a satisfação imediata. E que pode ter caráter de desejo ou de necessidade primária. Por exemplo, o impulso da fome, o da raiva ou o sexual.

Para entender melhor, observe como você agia na infância. Nessa fase, quem guia as ações infantis é o Princípio do Prazer. Orientando-as sempre no sentido de satisfazer suas necessidades básicas. As crianças menores tendem a exigir a satisfação de suas necessidades, como fome e sono, por exemplo. E o fazem sem levar em consideração o local e o momento. Isso porque nelas não se encontra desenvolvido o Ego que, por sua vez, é guiado pelo Princípio Secundário.

Princípio Secundário: Princípio da Realidade

Enquanto um de nossos aspectos psíquicos (também conhecido por Id na Psicanálise) é guiado pelo Princípio do Prazer, o Ego é guiado pelo Princípio da Realidade. Sua principal função é de satisfazer o máximo possível os desejos e as necessidades primárias e de prazer. No entanto, de uma forma socialmente “adequada”. Nesse sentido, o Princípio da Realidade se opõe ao Princípio do Prazer. Porém, não com a intenção de anulá-lo. Do contrário, sua função é de mediar os impulsos primários para garantir sua satisfação de acordo com os princípios morais da realidade social. O Princípio da Realidade se desenvolve, assim como o Ego, a partir do amadurecimento da personalidade e da vida em sociedade.

Princípio Terciário: Princípio da Transcendência

Como você pode perceber, ou até mesmo deve ter observado durante a sua vida, o Princípio do Prazer costuma entrar em conflito com o Princípio da Realidade. Observe. Quando a sua mente é dominada pelo Princípio do Prazer, ou seja, pela busca da satisfação de desejos, você é levado a agir de forma impulsiva. No entanto, você sabe que ações impulsivas desprezam regras e não obedecem a uma lógica. Nesse sentido, Freud conclui que, por um lado, todo o pensamento humano é um conflito.

Então, para resolver esse conflito, temos o Princípio Terciário ou Princípio da Transcendência. É o impulso em direção ao despertar espiritual que atravessa a humanidade do ser. A própria pulsão da vida, morte e para além delas. É a pulsão vital intrínseca à biologia subjetiva do ser humano. Dessa forma, quem se propõe a reconhecê-la e desenvolvê-la, adquire uma energia psíquica intensa, que lhes permite enxergar a vida, o universo e a si mesmos de forma integrada. Esse impulso, quando não impedido, expressa-se naturalmente de forma saudável. Porém, pode ficar adormecido em algumas pessoas.

Portanto, o Princípio da Transcendência é um processo terciário, seguido do Princípio do Prazer e do Princípio da Realidade. Ou seja, a vontade por prazer negada pela realidade leva à um impulso à transcendência.

E como essa força pode ser impulsionada? De forma inconsciente, ela pode ser estimulada a partir dos encontros, das suas relações com os outros. Ou, ainda, a partir de experiências intensas ou situações extremas que aconteceram ou podem acontecer em algum momento da sua vida. Por outro lado, de forma consciente, práticas artísticas ou espirituais podem impulsionar esse processo. Por exemplo, meditação, oração, pranayamas, mantras, leituras de textos sagrados, contemplação da natureza ou até mesmo ingestão de substâncias enteógenas.

Princípio da Transcendência e Psicologia Transpessoal

A pulsão de transcendência favorece a percepção mais ampla das situações. Além disso, observa-se que proporciona um aumento da capacidade de resiliência nas pessoas.

De acordo com Vera Saldanha, o Princípio da Transcendência favorece o despertar da dimensão espiritual e propicia a atualização experiencial de valores positivos, saudáveis e curativos. Bem como gera sinergia, relações mais cooperativas e harmoniosas em direção à unidade. Portanto, é um aspecto importante na promoção da saúde individual, coletiva e na criatividade. Sendo assim, ela tornou-se objeto de estudo da pesquisa na abordagem transpessoal.

Dessa forma, as pesquisas sobre os aspectos transcendentes da dimensão humana são um diferencial no campo da psicologia. Bem como podem trazer uma nova perspectiva nos estudos sobre o processo de desenvolvimento humano.

Diferença entre Princípio da Transcendência e Função Transcendente

É importante diferenciar o Princípio da Transcendência, postulado pela transpessoal, do conceito de Função Transcendente da psicologia analítica de Jung.

Na abordagem jungiana, função transcendente é entendida como a união dos conteúdos conscientes e inconscientes. Ou seja, é o que faz a ponte entre os dados reais e imaginários ou racionais e irracionais. Por outro lado, no Princípio da Transcendência, de acordo com a transpessoal, não estamos falando apenas do impulso orgânico. Mas, enfatizando a sua qualidade de impulso “instintóide”. Ou seja, natural no processo de desenvolvimento humano. Conforme explica Maslow:

Os metamotivos, portanto, já não são apenas intrapsíquicos ou orgânicos. São a um só tempo interiores e exteriores […] Isso significa que a distinção entre o próprio ser e o que não o é se desfez (ou foi transcendida). Há agora menos diferenciação entre o mundo e a pessoa… Esta se torna um eu ampliado… Identificar o que há de mais elevado no próprio ser com os valores supremos do mundo exterior significa, ao menos em alguma medida, uma fusão com o que não é o próprio ser.

Por que é importante pra você

Vivências de transcendência configuram uma nova dinâmica na psique. Por isso, facilitam saltos transformadores. E ainda, permitem o enfrentamento saudável de situações desafiadoras. Por quê? Porque ver a vida, o universo e a si mesmo de forma integrada transcende as dificuldades do ego.

Além disso, o Princípio da Transcendência é responsável pela manifestação das experiências culminantes. No entanto, são experiências que dependem do quanto esse processo terciário está desenvolvido. Assim como, o quanto é estimulado e integrado na sua própria vida. Logo, trata-se de uma força que você pode procurar desenvolver para ter todos os seus benefícios.

Porém, não estamos falando aqui de tomar ações dissociadas da realidade. Transcender não é tornar-se supra-humano, mas sim transumano. Ou seja, não é negar a condição humana, e sim reconhecer, na sua própria condição humana, entre seus aspectos positivos e negativos, o potencial para ir além do ego.

Para isso, você não precisa necessariamente pertencer a uma religião ou a uma ideologia específica. O essencial é integrar seus quatro recursos principais. São eles: a razão, a emoção, a intuição e a sensação. Assim como ensina Jean-Yves Leloup, a vida espiritual nem sempre consiste em ter grandes ideais e maravilhosos projetos, e sim em dar um passo a mais a partir do ponto em que você se encontra.


Se você gostou desse assunto, pode ser que você se interesse pelo e-Book “Como Ser Feliz para Sempre: Uma Jornada do ego ao Self” ❤️

Tags: | |

Sobre o Autor

Sandrine Swarowsky
Sandrine Swarowsky

Desde que fui morar na Grécia em 2008, uma série de mestres e sincronicidades me despertaram para a dimensão espiritual. Isso me levou a uma crise vocacional e a partir disto a buscas que me levaram a um encontro extraordinário: o encontro comigo mesma, uma semente que venho cultivando e que vem crescendo e que, como toda grande colheita, é para ser compartilhada! Saiba mais em Autora.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *