Carregando...
ConsciênciaPsicologia Transpessoal

O significado dos sonhos

jung-psicodrama-sonhos

Você costuma lembrar dos seus sonhos? E, mais que isso, costuma observar sua reação diante das lembranças? Acredita que é uma mera “viagem sem sentido” ou costuma atribuir um significado a eles?

Os sonhos, talvez por parecerem muito reais e por vezes incrivelmente surreais, são um tema que costuma intrigar a todos e que possivelmente ainda desconhecemos todas as suas funções.

Jung definia o sonho como “um auto-retrato espontâneo, em forma simbólica, da real situação no inconsciente”. Ele via a relação do sonho com a consciência, basicamente, como uma relação compensatória

Existem diferentes teorias que podem ser atribuídas aos sonhos e possivelmente diferentes tipos de sonhos, cada qual com suas funções específicas, porém hoje gostaria de compartilhar a oportunidade que tive de praticar o psicodrama do sonho, sob a orientação de Manoel Simão, um simples exercício que essencialmente explora os símbolos que se apresentam, e que floresceu em insights de uma riqueza inacreditável.

Uma vivência que levo comigo para sempre e do qual aprendi, essencialmente, que cada sonho, por mais simples e bobo que pareça, é de uma riqueza e complexidade de detalhes e significados que escapam ao estado de vigília. Percebi que cada cor, sentimento e detalhe do sonho tem uma razão de ser e que é um portal para o inconsciente que pode revelar muitos aspectos de nós escondidos em nossas profundezas. Foi possível perceber também que o significado dos sonhos tende a ser muito mais pessoal do que universal, de acordo com a história que cada um vivenciou e a respectiva significação que cada um atribuiu na construção da jornada da vida, que é muito íntima e única, assim como somos cada um de nós, inserido na complexidade do seu próprio contexto.

Portanto, se você quer aprofundar no significado dos sonhos, é importante contar com uma pessoa ou profissional capacitado com a técnica, habilitado para fazer as perguntas certas, e facilitar desta forma, com que você traga ao consciente, por meio dos símbolos, o que está no inconsciente. Se uma outra pessoa tenta interpretar seu sonho, esta corre o risco de projetar seu próprio inconsciente e significados. A chave é não interpretar, e sim facilitar com que o sonhador encontre seu próprio significado.

Um simples exercício como este mostra o potencial dos sonhos como ponte para entrar em contato com o inconsciente, e como ele pode se tornar um instrumento de evolução e profundo autoconhecimento.