O que é Sagrado Feminino?

O Sagrado Feminino é um resgate e ao mesmo tempo uma reconexão com a sabedoria natural e ancestral da essência feminina em todos os aspectos. É a consciência sobre o corpo e a alma feminina, dos ciclos biológicos e psíquicos (como o da menstruação), da capacidade de criação e acolhimento (gestação) e da força e poder da mulher. É a reconexão consigo mesma em harmonia com os ciclos da natureza.

Estes conceitos originam-se da união de saberes antigos, principalmente da Índia, antigo Oriente Médio e Egito, e dos saberes ancestrais nativos, hoje chamados de Xamanismo ou indígena, tanto ocidentais como orientais.

Para fazer esta reconexão com o Sagrado Feminino, os Círculos de Mulheres são cada vez mais procurados. A união das mulheres promove um campo pulsante de cura, força e acolhimento. É o lugar de profunda transformação onde as mulheres aprendem o exercício da presença, da escuta e da fala, a relacionar-se de forma fraterna com outras mulheres, a reconexão com a própria natureza cíclica, com o corpo, psique, virtudes e propósitos, incluindo também a conscientização da sombra, de padrões sistêmicos familiares, a integração dos arquétipos da mulher selvagem, o resgate da natureza intuitiva, da sua mitologia pessoal, sexualidade e espiritualidade.

Nos últimos anos da história da humanidade, a percepção de mundo, tanto de homens e mulheres, ficou muito restrita a uma visão masculina, onde impera a lógica, a razão e a ação. Por isso, cada vez mais mulheres estão buscando ampliar a consciência e resgatar sua natureza intuitiva, e encontram nos Círculos de Mulheres um lugar seguro e acolhedor para olhar para as feridas, ressignificar sua história, escutar os anseios da alma e reaprender a dança cíclica do Feminino. E, desta forma, viver de forma mais inteira as suas relações, inclusive consigo mesma.


Tags: | | |

INSIGHTS DO UNIVERSO

RECEBA GRATUITAMENTE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Sandrine Swarowsky
Sandrine Swarowsky

Desde que fui morar na Grécia em 2008, uma série de mestres e sincronicidades me despertaram para a dimensão espiritual. Isso me levou a uma crise vocacional e a partir disto a buscas que me levaram a um encontro extraordinário: o encontro comigo mesma, uma semente que venho cultivando e que vem crescendo e que, como toda grande colheita, é para ser compartilhada! Saiba mais em Autora.