O que é Constelação Familiar?

A Constelação Familiar facilita a solução de conflitos, sejam pessoais, familiares, de relacionamentos ou de negócios, através de um novo olhar para as dinâmicas invisíveis.

Desenvolvida na década de 80 pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, a constelação começa quando o cliente apresenta um tema de sua vida que gostaria de olhar e a partir de então escolhe, entre os participantes presentes, aqueles que irão representar o seu sistema, podendo este ser pessoal, familiar ou organizacional.

Sem conhecer os personagens e a história do sistema que estão constelando, os participantes experienciam atitudes, sentimentos e emoções das pessoas que estão representando, o que seria possível pelo fenômeno que Hellinger chama de o “campo das forças”. A medida em que os representantes ocupam lugares e se movimentam, fica mais fácil identificar a dinâmica oculta da situação daquele sistema e, assim, as soluções tornam-se visíveis.

Hipóteses a respeito desse fenômeno têm sido levantadas baseadas em alguns pensadores e tradições, como Rupert Sheldrake que aprofundou a teoria dos “campos morfogenéticos”, o Akasha da tradição Vedanta, o Inconsciente Coletivo de Jung e a teoria holográfica.

Para Bert Hellinger, um vínculo de amor rompido ou a exclusão de indivíduos em situações ou gerações anteriores podem ser a causa de sofrimentos dos membros de um grupo no presente. Segundo ele, há três ordens do amor que precisam ser respeitadas: o equilíbrio entre o dar e tomar, a hierarquia e o vínculo. O desrespeito a qualquer uma delas criaria emaranhamentos no sistema de relações de um grupo, que poderiam trazer consequências para os indivíduos que dele fazem parte.

A procura por constelações tem crescido exponencialmente, sendo aplicado também nas áreas da saúde, no judiciário e na pedagogia.


Se você gostou desse assunto, pode ser que você se interesse pelo e-Book “Como Ser Feliz para Sempre: Uma Jornada do ego ao Self” ❤️

Tags: | | | | |

Sobre o Autor

Sandrine Swarowsky
Sandrine Swarowsky

Desde que fui morar na Grécia em 2008, uma série de mestres e sincronicidades me despertaram para a dimensão espiritual. Isso me levou a uma crise vocacional e a partir disto a buscas que me levaram a um encontro extraordinário: o encontro comigo mesma, uma semente que venho cultivando e que vem crescendo e que, como toda grande colheita, é para ser compartilhada! Saiba mais em Autora.