6 dicas para quem tem transtorno de ansiedade

Todos passamos por momentos de ansiedade. O medo do desconhecido, uma preocupação com o futuro, a sensação de desconforto diante de determinada situação, a espera por algo importante, como o resultado de uma entrevista de emprego ou de uma prova. Especialmente neste momento de pandemia, o cenário de incertezas, o confinamento, o luto, o medo coletivo, as mudanças de hábitos, comportamento e estilo de vida são um prato cheio para a ansiedade emergir.

De acordo com um estudo feito pelo Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), dados coletados online indicam que o percentual de pessoas com quadros de ansiedade saltou de de 8,7% para 14,9% entre março e abril de 2020. Ou seja, quase dobrou.

Enquanto algumas situações são consideradas corriqueiras, a pandemia traz um estado de alerta atípico que está impactando cada um de nós. Embora você possa estar se sentindo ansioso nesse momento, você não pode afirmar que sofre de transtorno de ansiedade, o qual deve ser diagnosticado por um profissional.

Afinal, o que é ansiedade?

A ansiedade nada mais é do que um mecanismo do nosso cérebro que tem a função de enviar mensagens de alertas diante de situações desconhecidas, desfavoráveis ou hostis. Isso provoca em nós uma descarga de adrenalina, que nos mantém mais alertas para enfrentar esse desconhecido.

Essa é a ansiedade considerada “saudável”, que todos nós sentimos de vez em quando e que faz parte da vida.

Quando a ansiedade passa a ser considerada um transtorno?

Quando a ansiedade “saudável” é levada ao excesso, ela deixa de ser pontual e passa a ser patológica. Por exemplo, se diante de uma descarga de adrenalina e de uma situação desconhecida o indivíduo não se sentir mais alerta e, pelo contrário, se sentir sem reação ou travado, esse é um caso de ansiedade patológica.

A ansiedade patológica prejudica a vida de uma pessoa de várias maneiras. Acarreta problemas na vida pessoal e profissional, no relacionamento com outras pessoas, inclusive amorosos e chega a desenvolver sintomas, tanto físicos quanto psicológicos.

Se esse for o caso, é necessário procurar a ajuda de um profissional, poder ser um psicólogo oupsiquiatra, que provavelmente irá diagnosticar você com Transtorno de Ansiedade.

Mas como eu sei que minha ansiedade está se tornando patológica e que preciso procurar um médico?

Quando você deixa de realizar as suas atividades do dia a dia, quando se sente tomado pela angústia ou pela culpa por ter deixado de realizar algo, quando começa a perder o interesse pelas coisas que antes lhe davam prazer e a nutrir pensamentos negativos. Esses são alguns dos efeitos psicológicos causados pelo transtorno.

Além disso, pode haver também a manifestação de sintomas físicos, como tontura, tremores, sudorese, falta de ar, taquicardia, gagueira, insônia, desmaios.

Você não precisa manifestar todos esses sintomas, mas se manifestar muitos deles, sim, está na hora de procurar ajuda profissional.

Se você acredita que sofre ou já foi diagnosticado com ansiedade patológica, há alguns truques que podem contribuir para você ficar mais tranquilo.

Confira 5 dicas que podem ajudar você a cultivar um estado de paz e relaxamento:

1. Respire

Um dos primeiros sintomas de uma crise de ansiedade é a dificuldade de respirar. Aquela respiração em que o ar parece não chegar aos pulmões. Então, pare em uma posição, preferencialmente sentado ou sentada, e simplesmente respire. Esqueça o resto do mundo e foque apenas na sua respiração, no ato de inspirar e expirar.

Faça isso pelo nariz e não pela boca, dessa forma você vai ativar o seu sistema parassimpático. Use o diafragma e sinta o ar entrando e saindo pausadamente do seu organismo. Se lhe ajudar, observe o movimento da sua barriga enquanto você faz esse exercício. Se for confortável para você, experimente soltar o ar num período de tempo mais longo comparado ao tempo que você leva para inspirar. Em pouco tempo, a calma irá tomar conta de você novamente. 

2. Mantenha um diário

Não precisa ser nada chique ou elaborado, basta um simples caderno. Um lugar só seu, onde apenas quem você der permissão poderá ler. Assim que você começar a ter pensamentos ansiosos, use o diário como uma forma de distração, de tirar esses pensamentos de dentro de você e colocá-los em outro lugar, neste caso, seu diário. Pode parecer besteira, mas não pare e pense no que está escrevendo, apenas deixe as palavras fluírem e saírem de dentro de você, sem se preocupar com erros ou com a escrita correta.

Depois de um tempo, leia o que você escreveu e comece a ver que seus pensamentos talvez não sejam tão racionais quanto você achou que eram quando os escreveu. Isso vai ajudar você a se conhecer melhor e a conhecer seus medos, pois ao vê-los escritos no papel vai poder dimensionar melhor seus anseios e preocupações, começar a buscar respostas e soluções para eles.

3. Alimente-se de forma saudável

Comidas pesadas, ricas em carboidratos e gorduras, do tipo fast food e outras tantas que encontramos em nosso dia a dia podem parecer mais práticas, porém deixam a pessoa com uma sensação pesada e um sentimento de culpa que pode desencadear uma crise de ansiedade. Além disso, é muito importante evitar estimulantes como café e alimentos com cafeína.

Por outro lado, há escolhas na hora de comer que podem ajudar a diminuir o nível de ansiedade. Experimente opções como aveia, grão de bico, coco, abacate e alimentos integrais. Sempre que puder, dê preferência a esse tipo de alimento. Conecte-se com seu corpo e comece a prestar mais atenção à sabedoria que ele traz. Seu corpo sabe o que vai fazer bem pra você. Mantenha-se conectado para ouvi-lo.

4. Pratique exercícios físicos

Quando praticamos exercícios físicos, nosso corpo libera serotonina, uma substância capaz de aumentar a sensação de prazer e, consequentemente, diminuir a ansiedade.

Se você não tem o hábito de fazer exercícios, comece aos poucos. Caminhar por meia hora, duas vezes por semana, ainda que em um ritmo mais lento, preferencialmente ao ar livre (de máscara e com todos os cuidados que o momento exige), logo trará resultados. Estabeleça dias e horários que melhor se encaixam na sua rotina. Para estes tempo de confinamento, o Yoga é uma prática super recomendada, que vai ajudar a equilibrar a sua mente e o seu corpo. Você vai ver como sua ansiedade vai diminuir bastante ao longo dos dias.

5. Divirta-se

Mesmo na correria do dia a dia, procure fazer alguma coisa só para você, que lhe traga algum tipo de prazer. Pode ser um hobby, ler um livro, dançar, cantar, cozinhar, assistir a um filme ou uma série, fazer uma call com amigos e familiares. Não importa o que seja, apenas faça algo cujo único intuito seja a sua diversão.

6. Medite

Você já deve ter observado como o padrão da sua respiração muda de acordo com o seu grau de ansiedade. Quando estamos ansiosos, geralmente a respiração fica mais curta, rápida e rasa. E aqui está uma grande chave. Da mesma maneira que a ansiedade impacta a respiração, a respiração também impacta a ansiedade. Isso significa que você tem o poder de mudar conscientemente e voluntariamente o seu padrão respiratório para se sentir instantaneamente mais tranquilo e relaxado.

Como você viu na primeira dica, a respiração é muito poderosa e uma forma prática de treiná-la é por meio de técnicas de meditação. Além da respiração e dos benefícios de se sentir mais calmo, você ainda vai cultivar estados ampliados de consciência que vão te trazer cada vez mais paz interior e uma nova perspectiva sobre a sua vida. Se for do seu interesse, recomendamos que você leia este livro do Deepak Chopra.

Gostou das dicas? É importante esclarecer que você não irá ficar curado ou curada com elas caso tenha transtorno de ansiedade. Quando a ansiedade é patológica, é essencial o acompanhamento médico e seguir o tratamento prescrito, que pode incluir terapia e até mesmo medicamentos. Porém, tenho certeza que essas dicas vão ajudar você nessa superação, especialmente naqueles momentos em que a ansiedade bate quando você menos espera. Inspire. Solte. Tenho certeza que você vai conseguir se acalmar e se sentir mais tranquilo ou tranquila.

Se essas dicas lhe ajudaram e você acha que pode ajudar mais pessoas com elas, compartilhe nas suas redes ou com seus amigos e familiares. Se tiver alguma dica que não está aqui e que funcionou pra você, escreva nos comentários. Você pode ajudar mais pessoas 🙂 Até o próximo post!

Tags: | | | |

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *