A maior herança que uma mãe pode deixar aos filhos é ter se curado como mulher

Não nascemos mulher, nós nos tornamos mulher. A menina que se torna mulher assume ao longo da vida diferentes papéis como filha, irmã, tia, amiga, profissional, esposa, mãe, avó. 

A postura, significado e crenças que manifesta na relação consigo mesma e com os outros é sua mensagem para o mundo. Cabe às mulheres terem certeza de que esta mensagem é inspiradora. Sendo assim, é uma responsabilidade curar a relação das mulheres consigo mesmas, e desta forma educar e inspirar as filhas e meninas de outras gerações o valor do respeito pessoal, assim como aos filhos e meninos o respeito pelo universo feminino.

Como saber se você se curou como mulher?

Uma mulher saudável respeita seus desejos e necessidades, cuida do seu bem estar físico, emocional e espiritual. Sabe reconhecer o seu valor e o das outras mulheres sem se sentir inferior. Se equilibra entre os pilares de dar e receber, da escuta e da expressão, a delegar atribuições. Aprende a dizer não e seguir leve com o coração.

A maior herança que uma mulher pode deixar aos seus filhos é ter se permitido curar suas próprias feridas emocionais e, ao mesmo tempo, honrar sua ancestralidade, aceitar seu passado e sua própria história e assim se abrir a um novo presente. Parar de atribuir ao outro a responsabilidade pela sua vida, encerrar ciclos e cicatrizar feridas são meios de construir um presente melhor para si mesma.

Uma mulher inteira não renuncia a sua realização pessoal. Uma mulher curada é aquela que olha para os padrões herdados da sua linhagem feminina, reflete e então consciente, escolhe se repete. E dessa consciência, desfruta a liberdade de poder mudar e desta forma gerar uma nova realidade.

Tags: | | | | | | |

INSIGHTS DO UNIVERSO

RECEBA GRATUITAMENTE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Sandrine Swarowsky
Sandrine Swarowsky

Desde que fui morar na Grécia em 2008, uma série de mestres e sincronicidades me despertaram para a dimensão espiritual. Isso me levou a uma crise vocacional e a partir disto a buscas que me levaram a um encontro extraordinário: o encontro comigo mesma, uma semente que venho cultivando e que vem crescendo e que, como toda grande colheita, é para ser compartilhada! Saiba mais em Autora.