3 diferenças entre a Psicanálise e a Transpessoal

Existem três perspectivas que a Psicologia Transpessoal vem elucidar por meio da ampliação da consciência em contraposição à Psicanálise. Principalmente, elas se destacam por fazer diferença nos aspectos associados ao sofrimento humano.

Confira abaixo:

  • Existência infinita x Existência finita
  • Ego forte, porém flexível x Ego forte, sem flexibilidade
  • Poder parcial do indivíduo x Poder total no indivíduo

Explicando as 3 diferenças

A visão da Psicanálise de que a existência é finita promove o medo da morte. Em contrapartida, a visão da Transpessoal de que a existência é infinita promove a perda do medo da morte, que pode levar a um sentimento de paz interior.

Da mesma forma, o ego fortalecido sem flexibilidade e transparência é o que se pode chamar de fantasia da separatividade. A visão da Psicanálise de um ego separado do outro, do ambiente e do todo promove a dor nos mais variados aspectos da vida. Por outro lado, a visão transpessoal de um ego forte, porém flexível, promove a consciência, por exemplo, de que o que faço para o outro faço também para mim. Da mesma forma, o que faço para mim faço também para o outro. Como resultado, ampliamos a empatia, promovendo uma mudança de valores, além de expandir o sentimento de pertencimento a tudo que existe.

Por fim, o poder total no indivíduo, apontado também pela Psicanálise, pode ser considerado uma visão egóica que também promove a fragmentação e a desconexão com o todo. Essa desconexão pode levar o indivíduo a sofrer uma grande pressão e exigência de si, à sensação de impotência e culpa e a se fechar em si mesmo e ao medo. Ao passo que o poder parcial do indivíduo, apontado pela Transpessoal, promove um maior entendimento e uma maior receptividade ao que o Universo pode oferecer.


Se você gostou desse assunto, pode ser que você se interesse pelo e-Book “Como Ser Feliz para Sempre: Uma Jornada do ego ao Self” ❤️

Tags: | | | | | | |

Sobre o Autor

Sandrine Swarowsky
Sandrine Swarowsky

Desde que fui morar na Grécia em 2008, uma série de mestres e sincronicidades me despertaram para a dimensão espiritual. Isso me levou a uma crise vocacional e a partir disto a buscas que me levaram a um encontro extraordinário: o encontro comigo mesma, uma semente que venho cultivando e que vem crescendo e que, como toda grande colheita, é para ser compartilhada! Saiba mais em Autora.

2 Comentários

  1. Qdo fui prestar meu 1 vestibular eu sempre quiz ser psicologa mas por fim prestei outra coisa que estava na moda que era comunicacaobsocial, numa excelente universidadecestadual e passei com.louvor, lembro da alegria do meu pai por eu ter saido no jornalzinho da Univésidade. E no fimnm fiz direito por imposicao de um namorado e um casamento que ja comecou falido. Hoje acredito que foi meu maior erro e estou buscando nos ensinamentonda Transpesoal uma ajuda que ja precisei la atras e a psicanalise nao me ajudou..

  2. Oi Maria Helena! Obrigada por compartilhar um pouco da sua história. Fico feliz que esteja encontrando o que procura na Transpessoal. Acredito que tudo é caminho, mesmo escolhas aparentemente “erradas” podem trazer um tesouro escondido de aprendizado. Vamos falar mais sobre isso nos próximos posts. Seguimos juntas! Te abraço!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *