Loading...
Psicologia Transpessoal

O Espectro da Consciência e os três níveis de Dualidade

De acordo com o livro “O Espectro da Consciência”, de Ken Wilber, existem três niveis de Dualidade: o dualismo primário, secundário e terciário.

O Nível da Mente trata-se da consciência universal, origem do espaço, tempo, matéria, energia, vida e consciência. Nas tradições espirituais é conhecida como Deus, Yavé, Tao, Brahman, consciência cósmica, Allah, entre outros nomes. É a base atemporal, holográfica e não-local de todos os fenômenos temporais, inclusive nossas mentes individuais. Por ser a origem de todas as coisas, este é o fundamento e o primeiro nível da consciência.

O Nível Existencial consiste no movimento da mente cósmica rumo à diversificação, onde ela assume uma multiplicidade ilusória de formas, entre as quais a nossa consciência individual.  Neste nível, a consciência cósmica dá lugar a divisões e dualidades que não são reais, mas apenas aparentes. Desta forma nos percebemos como uma consciência individual, separada da fonte, tal como uma onda que nunca viu o mar. Por meio desta diversificação, a qual percebemos como fragmentação, nos identificamos com nosso organismo, criando uma identidade pessoal, gerando o nível existencial, e nele um homem não identificado com o cosmos. Aqui o Dualismo Primário ocorreu, reprimindo a Mente, projetando-a como organismo versus meio ambiente, e gerando o Nível Existencial à medida que o Homem se identifica com o seu organismo em contraste com o meio ambiente. Este processo desencadeia o Dualismo Secundário da vida versus morte, o qual, por seu turno, gera o Dualismo Terciário entre a psique e o soma, que assinala a emergência do Nível do Ego.

No Nível do Ego a fragmentação continua, a ponto da pessoa sequer se identificar com todo seu organismo. Deixamos o corpo de lado e passamos a nos identificar somente com nossa mente. Criamos uma oposição mente/corpo. Não dizemos “eu sou um corpo”, mas “eu tenho um corpo”. E a esse “Eu” que “tem” um corpo, chamamos de ego. É o nascimento da oposição psique versus soma.

No mesmo livro, Ken Wilber resume:

“De maneira simplista podemos encarar tudo isso assim: A energia mobilizada no Nível da Mente é pura, sem forma (isto é, vazia), atemporal, infinita, mas, quando se ‘eleva’ através dos níveis do espectro, começa a desintegrar-se, assumindo imagens e formas dualísticas. Consequentemente, cada nível se caracteriza pela natureza da desintegração dualística que nele ocorre. Assim sendo, no Nível Existencial, a energia desintegrou-se e fragmentou-se em energia do “eu” versus energia ambiental; na Faixa biossocial, a energia do eu começa a tomar forma, recolhendo os adornos e coloridos daquele nível; ao passo que no Nível do Ego ela se desintegrou ainda mais em energia corpórea versus energia psíquica. O Nível da Sombra representa simplesmente uma continuação da desintegração, onde a própria energia psíquica se cinde e fragmenta”.